segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Doenças Cardiovasculares


   As doenças cardiovasculares são todas as doenças do coração e sistema sanguíneo (artérias, veias e vasos capilares).
   Tipos:
•Doenças das artérias coronárias:
    DAC é um tipo de doença do coração, causada por bloqueio gradual das artérias coronárias. O coração obtém oxigênio e nutrientes do sangue que passa por essas artérias. Nesta doença, formam-se placas de tecidos gordurosos no interior das paredes dessas artérias. A medida que a placa aumenta em espessura, o fluxo de sangue diminui e às vezes a própria placa, ou um coágulo de sangue formado na placa, podem bloquear completamente a artéria. Isto faz com que o coração receba menos oxigênio. Este estreitamento das artérias pela placa, e, às vezes, o bloqueio completo, aumentam o risco de ataque cardíaco e morte súbita.
Fatores que aumentam o risco de acúmulo de placas gordurosas nas artérias:
- Tendência herdada (genética);
- Tabagismo;
- Pressão sanguínea elevada;
- Diabetes;
- Obesidade;
- Níveis altos de gordura no sangue (colesterol, por exemplo);
- Pouco exercício físico.
Sintomas:
   Geralmente não há sintomas, mas quando há, o mais comum é a dor de tórax, chamada angina. Ela se manifesta como uma pressão pesada abaixo do esterno, podendo também sentir uma pressão no pescoço, ombros, braços e até mandíbula.
   Quando se tem angina, também pode-se ter frequentemente encurtamento da respiração, aversão à luz, suores frios, ou náusea.
Diagnóstico:
   O diagnóstico é feito através de perguntas e exames, como eletrocardiograma.
Tratamento:
   A princípio, o tratamento pode incluir mudanças na dieta e um programa de exercícios monitorado. O médico também pode prescrever um medicamento para dor no peito. E em alguns casos, pode haver intervenção cirúrgica.
Prevenção:
- Alimentação saudável;
- Praticar exercícios físicos;
- Não fumar.
•Ataque cardíaco:
   Um ataque cardíaco acontece quando parte do coração não recebe oxigênio em quantidade suficiente. Um coágulo sanguíneo em uma das artérias coronárias pode bloquear o fluxo de sangue para o músculo cardíaco, o que acarreta prejuízos para o coração, e até, dependendo do tempo de duração do bloqueio, pode uma parte do coração morrer, fazendo com que pare de funcionar corretamente.
Sintomas:
- Dor no meio do peito;
- Dor no ombro, braço, barriga ou mandíbula;
- Falta de ar;
- Suor intenso;
- Náuseas;
- Fraqueza ou tonteira;
- Palidez.
Diagnóstico:
   Perguntas sobre histórico médico e exames para avaliar como o coração está trabalhando.
Tratamento:
   Permanecer no hospital de 2 a 7 dias. Caso haja dificuldade de respirar, receber oxigênio. Medicações para dissolver o coágulo, e outros medicamentos. Pode até ser necessário a realização de uma cirurgia, em casos mais graves.
Prevenção:
- Não fume;
- Se tiver diabetes, mantê-la sob controle;
- Alimentação saudável;
- Controle da pressão sanguínea;
- Ingerir pouca gordura e sal;
- Praticar exercícios regularmente.
•Angina:
   Dor ou desconforto no peito quando os músculos cardíacos não recebem sangue suficiente.
   Há três tipos de angina:
- Angina estável: Ocorre quando o coração está trabalhando mais forte que o usual. A dor ocorre num padrão regular, e a dor vai embora após medicamento ou repouso.
-Angina instável: A dor não segue padrão e não some após medicamento ou repouso. Requer tratamento de emergência.
- Angina variante (prinzmetal): Tipo raro, ocorre durante o repouso, entre meia-noite e de manhã cedo.A dor é forte e é aliviada com medicamentos.
Tratamentos:
   O tratamento inclui: mudanças no estilo de vida, medicamentos, procedimentos especiais e reabilitação cardíaca.
Prevenção:
- Dieta;
-Não fumar.
•Síndrome coronariana aguda:
   Dor precordial típica com infarto do miocárdio agudo ou iminente. Trata-se de placas de aterosclerose presentes nas artérias, complicadas por trombos, fissuras, rupturas, hemorragias ou erosões.
Diagnóstico:
   Eletrocardiograma (ECG), marcadores de necrose miocárdica.
Tratamento:
   Medicamentos.
•Aneurisma da aorta:
   A aorta (maior artéria do sistema circulatório) dilata-se a partir do ponto onde sai o coração. Esta dilatação causa mal funcionamento da válvula que se encontra entre o coração e a aorta (válvula aórtica), permitindo que o sangue retroceda para o coração quando a válvula se fecha.
Sintomas:
   Os sintomas são o resultado da pressão que a aorta dilatada exerce contra as estruturas vizinhas. Os sintomas típicos são dor, geralmente n aparte superior das costas, tose e sibilos.
Diagnóstico:
   Radiografia do tórax, tomografia axial (TAC), ressonância magnética (RM), ou ecografia transesofágica.
Tratamento:
   Cirurgia.
•Arritmias cardíacas:
   É um problema na velocidade ou ritmo do batimento cardíaco.
Tipos:
- Braquicardia: Quando o coração bate menos de 60 vezes por minuto.
- Taquicardia: Quando o coração bate mais de 100 vezes por minuto.
Sintomas:
   Palpitação, desmaio, falta de ar, mal estar, ou quando é mais grave, confusão mental, fraqueza, pressão baixa, dor no peito.
Diagnóstico:
   ECG, ecocardiograma, estudo eletrofisiológico, holter-24horas.
Tratamento:
   Medicação, e em casos mais graves, outras terapias.
•Doença cardíaca congênita:
   Doença na qual há anormalidade na estrutura ou função do coração, que está presente no nascimento, mesmo que descoberta mais tarde.
Sintomas:
   Falta de ar, cianose (coloração azul-arroxeada na pele), braqueteamento digital (dedos em forma de baqueta de tambor), suor em excesso e cansaço ao mamar, modificações no formato do tórax.
 Diagnóstico:
   Exame físico.
Tratamento:
   Correção do defeito estrutural através de cirurgia.
Prevenção:
   A não-exposição a possíveis agressores, como exames radiológicos, alguns medicamentos (vale consultar o médico), e rubéola.
•Insuficiência cardíaca:
   É quando uma das cavidades do coração falha como bomba, não sendo capaz de enviar adiante todo o sangue que recebe.
Sintomas:
   Falta de ar, inchaço ou edema principalmente nas pernas e no fígado.
Diagnóstico:
  Verificação de: ausculta cardíaca (sopros), ausculta pulmonar (chiado), edemas das pernas, e exames, como: radiografia de tórax e ecocardiograma.
Tratamento:
   Medicamentos ou, em casos mais graves, transplante cardíaco.
Prevenção:
   Bons hábitos de saúde, como dieta saudável, evitar cigarros e bebidas alcoólicas, praticar exercícios físicos, entre outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário