quarta-feira, 8 de junho de 2011

Hipnose


   Hipnose é um estado de transe caracterizado por extrema influência externa, relaxamento e imaginação elevada. Não é exatamente como o sono, porque a pessoa fica alerta o tempo todo. É mais parecido com sonhar acordado ou o sentimento de "se perder" em um livro ou um filme. A pessoa fica completamente consciente, mas desliga a maioria dos estímulos a seu redor. Fica muito focada no que está próximo, sendo quase incapaz de ter qualquer outro pensamento.
   Formas diárias de hipnose: lendo, dirigindo, vendo filme. Em um transe diário de um devaneio ou filme, um mundo imaginário parece real, no sentido de usar as emoções completamente. Situações imaginárias podem causar muito medo, tristeza ou alegria e você pode até se sacudir em sua cadeira se levar um susto. Muitos pesquisadores classificam todos esses transes como formas de auto-hipnose.
   Em hipnoses convencionais, você se aproxima das "ordens" do hipnotizador, ou das suas próprias ideias, como se fossem realidade. Se o hipnotizador te disser que você está assustado, você ficará assustado de verdade, se ele disser que você está bebendo um refrigerante, por exemplo, você sentirá o gosto do refrigerante e o sentirá descendo em sua garganta. Mas, durante todo esse tempo, você vai estar ciente de que tudo é imaginário. Basicamente, você está brincando de faz-de-conta, assim como as crianças fazem.
   Neste estado mental especial, as pessoas se sentem desinibidas e relaxadas. Aparentemente isto ocorre porque elas se desligam de todas as preocupações e dúvidas que normalmente restringem suas ações. Você pode experimentar o mesmo sentimento quando assiste a um filme, por exemplo, quando você esquece de todos os seus problemas e se envolve no que está passando na tela. Neste estado, você também fica altamente influenciável. É aí que quando um hipnotizador te pede para fazer alguma coisa, você concorda plenamente, e é por isso que espetáculos de hipnose são tão interessantes. O medo de sentir-se ridículo some completamente, mas o senso de segurança e moralidade do hipnotizado continua bem estabelecido durante o transe. Um hipnotizador não consegue forçar ninguém a fazer o que não quer.
   Os métodos dos hipnotizadores variam, mas todos dependem de alguns pré-requisitos básicos:
•A pessoa deve querer ser hipnotizada;
•A pessoa deve acreditar que pode ser hipnotizada;
•Deve sentir-se confortável e relaxada.
   As técnicas mais comuns de hipnose são:
•Indução por fixação do olhar - a ideia básica é fazer a pessoa focar em um objeto de forma bastante intensa até se desligar de qualquer outro estímulo. Conforme ela se foca, o hipnotizador conversa com ela em um tom baixo, levando-a ao relaxamento. Este método foi muito usado no início do hipnotismo, mas não é muito usado atualmente, porque não funciona com a maioria das pessoas;
•Rápido - a ideia deste método é sobrecarregar a mente com comandos repentinos e firmes. Se os comandos forem forçados e o hipnotizador for convincente o bastante, a pessoa perde o controle de seu consciente. Este método funciona bem em espetáculos de hipnose, pois quando a pessoa fica perante espectadores, ela fica nervosa e mais suscetível aos comandos do hipnotizado;
•Relaxamento e mentalização progressivos - é o método mais usado por psiquiatras. Conversando coma  pessoa em voz baixa e suave, o hipnotizador o leva ao total relaxamento e meditação;
•Perda de equilíbrio - este método cria uma perda de equilíbrio usando balanços harmônicos e vagarosos. Pais fazem seus bebês dormirem usando este método há centenas de anos. Antes de colocarem a pessoa em transe total, hipnotizadores, normalmente testam a disposição e a capacidade delas serem hipnotizadas. O método típico de teste é fazer algumas simples sugestões como relaxar completamente os braços e pedir a ela para esquecer as descrenças ou alterar pensamentos comuns como "imagine que você não tem peso".
   Como funciona:
   O subconsciente é o verdadeiro cérebro que está por trás da operação, é responsável pela maioria de nossos pensamentos e toma muitas decisões. Quando estamos acordados, nosso consciente trabalha para avaliar muitos destes pensamentos, tomar decisões e colocar certas ideias em prática. Também processa novas informações e as reestabelece no subconsciente. Mas quando estamos dormindo, é como se o consciente ficasse fora do ar e subconsciente domina.
   Psiquiatras acreditam que o relaxamento profundo e exercícios de concentração de hipnotismo acalmam e suavizam o consciente, fazendo com que ele fique menos ativo no processo de raciocínio. Neste estado, ainda estamos cientes do que está acontecendo, mas o consciente fica sem importância para o subconsciente. na prática, isto permite que o hipnotizador e o hipnotizado trabalhem diretamente com o subconsciente. É como se o hipnotismo abrisse um painel de controle dentro do cérebro.
   Hipnotizadores dizem que os hipnotizados parecem com criancinhas: desinibidas, brincalhonas, criativas e aceitam totalmente as mais estranhas sugestões. Uma explicação para isso é a seguinte: o consciente é o principal componente inibidor em nossa constituição, enquanto o subconsciente é o lugar da imaginação e impulso. Quando o subconsciente está no controle, nos sentimos mais livres e ficamos mais criativos. O consciente não precisa filtrar tudo. Esta teoria diz que as pessoas hipnotizadas confiam no hipnotizador, como se ele próprio fosse o subconsciente, e não outra pessoa.
   O subconsciente regula as sensações corporais, como paladar, tato e visão, bem como as emoções. Quando a porta de acesso é aberta e hipnotizador pode conversar diretamente com o subconsciente ele pode despertar as mais inusitadas experiências, como o hipnotizado sentir gostos, ver coisas e até ter os mais variados sentimentos. Além disso, o subconsciente também carrega todas as nossas lembranças. Quando hipnotizadas, as pessoas podem se lembrar de coisas totalmente esquecidas. Psiquiatras podem usar a hipnose para lembranças e resolver problemas pessoais relacionados. Uma vez que nossa mente está em um momento tão influenciável, também é possível criar falsas lembranças. Por este motivo, psiquiatras precisam ser extremamente cuidadosos ao explorar o passado de uma pessoa hipnotizada.
   Em vários estudos, pesquisadores compararam "sinais corpóreos" físicos de pessoas hipnotizadas com pessoas não hipnotizadas. Na maioria destes estudos, eles não encontraram mudança física significativa associada ao estado de transe da hipnose. A frequência cardíaca e a respiração podem diminuir , mas isso ocorre devido ao relaxamento no processo de hipnose e não ao estado hipnótico, propriamente dito.
   No entanto, neste caso houve mudanças de atividade do cérebro. Os dados mais notáveis vem dos eletroencéfalogramas (EEGs), que são medições da atividade elétrica do cérebro. Pesquisas abrangentes de EGG demosntraram que os cérebros produzem diferentes ondas cerebrais, ritmos de voltagem elétrica, dependendo de seu estado mental. Em alguns estudos, os EGGs de pessoas hipnotizadas mostraram uma explosão nas ondas de baixa frequência associada com vigilância total. Informações sobre ondas cerebrais não são um indicador definitivo de como a mente está funcionando, mas este modelo se encaixa com a hipótese de que o consciente recua durante a hipnose e o subconsciente toma uma posição mais ativa.
   Pesquisadores também estudaram amostras no córtex cerebral durante a hipnose. Nestes estudos,  pessoas hipnotizadas apresentaram atividade reduzida no hemisfério esquerdo do córtex cerebral, mas frequentemente elevada no hemisfério direito. Neurologistas acreditam que o hemisfério esquerdo do córtex seja o centro de controle da lógica do cérebro, ele trabalha com dedução, raciocínio e convenção. O hemidfério direito, controla a imaginação e a criatividade. Uma diminuição de atividade no hemisfério esquerdo se encaixa na hipótese de que a hipnose anula a influência inibitória do consciente. Por outro lado, um aumento na atividade do hemisfério direito, confirma a ideia de que o subconsciente criativo e impulsivo toma o controle.
   A hipnose, hoje, tem várias utilidades, como tratar dores, vencer medos, diminuir o temor de tratamentos dentários, enfrentar fobias e depressões. E até para estimular a gravidez, pois a hipnose pode estimular a ovulação, a recepção do esperma e a fixação do embrião no útero.

4 comentários:

  1. Se você gosta dos assuntos da hipnose, eu você pode recomendar alguns filmes e boa TV, um deles é chamado O Mesmer e me tem preso desde o início, eu acho que é muito interessante e também tem um toque de mistério, você espero que você possa vê-lo: D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  2. Andrea, obrigada pela sugestão.
    Eu pesquisei e tem um filme com o nome Dr. Mesmer - O feiticeiro.
    Parece bastante interessante também. vou assistir.
    Desculpa pela grande demora na resposta. Fiquei um bom tempo sem vir aqui.

    ResponderExcluir
  3. Andrea, obrigada pela sugestão.
    Eu pesquisei e tem um filme com o nome Dr. Mesmer - O feiticeiro.
    Parece bastante interessante também. vou assistir.
    Desculpa pela grande demora na resposta. Fiquei um bom tempo sem vir aqui.

    ResponderExcluir