quarta-feira, 1 de junho de 2011

Déjàvu

 
   Déjàvu é uma palavra que vem do francês, significa "já vi". Toda vez que sentimos que já passamos pela situação presente, mesmo sabendo que não, estamos tendo um Déjàvu.
   Há muitas explicações para este fenômeno: clarividência, vidas passadas, inatenção, entre outros.
   Mas a ciência explica de uma forma mais compreensível.
   O Déjàvu acontece quando por uma falha no cérebro, os fatos que estão acontecendo são armazenados rapidamente sem nem sequer percebermos. Isso nos dá a sensação de que já ocorreu.
   Alucinações causadas por enfermidades ou drogas trazem um aumento de sensibilidade e são confundidas com Déjàvu. Diferentemente dos verdadeiros Déjàvu, que duram normalmente de 10 a 30 segundos, essas memórias falsas podem durar muito mais tempo.
   Existem, ainda, classificações de Déjàvu, de acordo com sua causa.
Déjàvu Associativo:
   É o tipo mais comum. Você ouve, cheira, vê ou experimenta algo que desperta uma sensação que você associa com algo já vivenciado antes.
Déjàvu Biológico:
   Há também uma alta ocorrência de Déjàvu entre pessoas com epilepsia do lobo temporal. Um pouco antes de ter um ataque, elas experimentam uma forte sensação de Déjàvu. Isso tem dado aos pesquisadores mais confiabilidade para estudar o Déjàvu e eles tem sido capazes de identificar as áreas do cérebro onde esses tipos de sinais de Déjàvu se originam. Contudo, alguns pesquisadores dizem que esse tipo de Déjàvu é distintamente diferente do Déjàvu comum. A pessoa que o experimenta pode acreditar que já passou exatamente por aquela situação ao invés de ter apenas uma leve sensação do fato.
Teoria do Telefone:
   Quando estamos distraídos com alguma coisa, captamos subliminarmente o que está ao nosso redor, mas não registramos de um modo consciente. Então, quando somos capazes de nos concentrar no que estamos fazendo, há a sensação de Déjàvu.
Teoria do Holograma:
   O Déjàvu acontece quando algum detalhe do ambiente onde estamos no momento é similar a algum resquício de memória do nosso passado e o cérebro recria uma cena inteira a partir desse fragmento.
Memórias de Outras Fontes:
   Essa pode ser explicada com um exemplo: Quando você era criança, viu um filme no qual tinha um restaurante muito famoso. Então, você já adulto acaba indo a este mesmo restaurante. Sem se lembrar do filme, o local lhe parece muito familiar.
Sonhos Precognitivos:
   Bom, os cientistas e estudiosos não acharam explicações científicas para isso e até muitos deles não acreditam que isso é possível.
   O que se sabe, é que isso acontece. Um fato interessante é que cerca de 10 pessoas cancelaram a viagem ao Titanic por terem tido sonhos onde previam a tragédia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário